Pesquisar Neste blog

Jesus dizia a todos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me. Lucas 9:23.

11 maio 2016

"Uns aos Outros": a Experiência da Comunidade Terapêutica



Sempre que penso em como deveria ser uma igreja, logo me vem à mente palavras como: acolhimento, pacificação, relacionamento e crescimento. Sim, a igreja tem o desafio de ser como um pomar, um espaço onde pessoas são plantadas para dar frutos para a vida. A experiência de comunidade de fé no Novo Testamento nos revela, dentre outras coisas, um ambiente relacional altamente salutar, capaz de promover assepsia na alma, de curar feridas e recuperar os enfermos de mente e coração para a jornada do Caminho. Igreja não é um turbilhão de gente entrando e saindo de cultos, ou uma engrenagem que propõe uma agenda com programas diversos para satisfazer o apetite religioso, mas é, antes de qualquer outra coisa, um Corpo capaz de promover o fomento da espiritualidade através do discipulado. Para mim, um dos maiores riscos que corre uma igreja é se tornar uma organização impessoal, transformar-se num ambiente onde a pessoa entra e sai sem ser percebida, deixa eventos e volta a seguir a pesada rotina de cada dia amargando existir apartada dos cuidados necessários para o desenvolvimento, pela via do ensino e do pastoreio, da consciência no Evangelho. Assista esta empolgante mensagem!


 

Mais Lidos

Barra de Vídeos

Loading...

Músicas

O Que Estamos Cantando

Liberdade de Expressão

Este Site Opera Desde Junho de 2010

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Visualizações de Páginas

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More