Pesquisar Neste blog

Jesus dizia a todos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me. Lucas 9:23.

08 janeiro 2011

"O Simples é o Contrário do Fácil"



Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz, e siga-me” Mt. 16:24

“Se Alguém...”. O convite de Jesus estabelece uma condição.
"Para este mundo Deus tem planos, não problemas...” W. Ian Thomas.

“...Quer Vir...”. O convite de Jesus exige uma decisão.
"Cristo levou nossa natureza para o céu para nos representar, e deixou-nos na terra com sua natureza para representá-lo." John Newton.

“...Após mim...”. O convite de Jesus nos fornece uma referência.
"Aprouve ao Pai que toda plenitude habitasse em Cristo; portanto, não há outra coisa senão o vazio em qualquer outra parte." W. Gadsby.

“...A si mesmo se negue...”. O convite de Jesus nos expõe a um “custo”.
"Deus tem uma obra a realizar neste mundo; fugir dessa obra por causa das dificuldades e obstáculos é rejeitar sua autoridade." John Owen.

“...Tome a sua cruz...”. O convite de Jesus está associado a um propósito.
"Deus não faz nada dentro do tempo que não tenha decidido fazer desde a eternidade." William Jay.

“...E siga-me.”. O convite de Jesus tem um objetivo.
"O futuro pertence aos que pertencem a Deus. Isto é esperança." W.T.Purkiser.

Carlos Moreira



Mais Lidos

Barra de Vídeos

Loading...

Músicas

O Que Estamos Cantando

Liberdade de Expressão

Este Site Opera Desde Junho de 2010

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Visualizações de Páginas

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More