Pesquisar Neste blog

Jesus dizia a todos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me. Lucas 9:23.

15 fevereiro 2011

Protestando contra os Protestantes!


No segundo século da era cristã, os pais apostólicos discutiam entre si sobre a possibilidade ou não de haver salvação fora da igreja. Hoje, a questão inverteu-se e talvez seja mais correto perguntar se há possibilidade de alguém salvar-se estando dentro da igreja”. André Pessoa.

Nada como um dia atrás do outro e uma noite no meio... Nós Protestantes, herdeiros das tradições da Reforma do século XVI com seus “pilares”, sua teologia, suas confissões, suas teses, temos agora de conviver com uma “igreja” que possui um ambiente mil vezes mais insalubre do que o foi a Igreja de Roma na “idade das trevas”. 

E não adianta você dizer que “não é do clube”! Depois do esquartejamento que fizemos no Corpo de Cristo, transformando-o em mais de 30 mil denominações no mundo, ninguém diferencia protestantes de históricos, reformados, evangélicos, neopentecostais, e quem mais chegar! Para a grande maioria da população, é tudo farinha do mesmo saco, sempre viveram no mesmo barco...

Quando há alguns anos o então Cardeal Joseph Ratzinger, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, no Pontificado de João Paulo II, escreveu o Documento “Dominus Lesus”, reacendeu-se o axioma de que "Fora da Igreja Católica não há salvação". Na época, o documento foi considerado tão infeliz e inoportuno, que até os cardeais protestaram contra. Sem dúvida, tratava-se de um grande retrocesso quanto às questões abordadas pelo Concílio Vaticano II de 1961.

Hoje, se os Católicos quisessem se manifestar, protestar, redargüir, criticar, nós teríamos de ficar caladinhos e de orelhas abaixadas tamanhas são as barbáries realizadas nas “igrejas” ditas “evangélicas”. O “Show da Fé”, que já era um suplício interminável, virou, há muito, “Show de Horrores”! Sai capeta!

Quisera eu que a apologética de nossos dias fosse contra o axioma Católico da não possibilidade de haver salvação fora da Igreja de Roma. Isso seria como tirar pirulito de bebê. Hoje lutamos contra nós mesmos, é o chamado fogo amigo! Não é fogo santo não irmão! Fica melhor chamar de fogo estranho mesmo! Combater “apóstolos”, “evangelistas”, “missionários” e outros “entes” eclesiásticos juntamente com o que eles pregam tem se tornado tarefa quase hercúlea!

Você acha as indulgências e simonias o “fim da picada?”. O que me diz então da água ungida do Jordão, do mapeamento genealógico das maldições hereditárias, das correntes de fé, dos processos de regressão para cura interior, da chave untada com óleo santo, do banho de sal grosso, das profetadas dos "santarados", das pirotecnias milagrosas, dos cantores “gospel”, do show dos endemoninhados – com direito a entrevista, das barganhas de todo tipo, do espólio das carteiras e dos bens dos “dizimistas”, dos elementos judaicos no culto – bandeira de Israel, Estrela de Davi, Shofa, e tantas outras maluquices que daria para escrever um livro só com as bizarrices encontradas em “nossos” “templos” e “cultos”.     

Se Nietzsche, no século XIX, escreveu: “a descoberta da moral cristã é um acontecimento que não tem igual, uma verdadeira catástrofe", imagina o que ele diria da “igreja” de hoje!? É triste, mas nos tornamos a antítese de tudo o que Jesus encarnou como vida; tornamo-nos os praticantes do maior estelionato da fé que a sociedade humana já presenciou! 

Por isso, pode protestar, bater o pé, fazer o sinal da cruz, fechar os olhos, tapar os ouvidos, cerrar os lábios, correr de medo, gritar “tá amarrado!”, chamar o BOPE, faça qualquer coisa meu mano, mas me deixe “sair desse trem!”. Sinceramente, conversão dentro do que se tornou a “igreja evangélica” é algo tão adoecedor e esquizofrênico que só o que nos resta é rezar para que o pobre coitado que passar por esta “experimneto” – não seria melhor dizer expremimento? – sobreviva ao que ainda virá pela frente. É que para este a grande tribulação já começou...

Não sei mais o que é pior: se a afirmação ufanista de Roma de que a salvação só se dá dentro de “suas portas”, ou a constatação de que dentro das portas de nossas “igrejas” tá ruim de haver salvação! Eu, todavia, prefiro ficar com as Escrituras: “Em nenhum outro nome há salvação, porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos”. At. 4:12. Só para lembrar: Igreja não salva! Jesus Cristo é a nossa salvação! 

PS: chocou-se com a imagem deste post? Não se impressione não, você vai vê-la muito mais por esses dias... "Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz a Igreja!".

Carlos Moreira

Mais Lidos

Barra de Vídeos

Loading...

Músicas

O Que Estamos Cantando

Liberdade de Expressão

Este Site Opera Desde Junho de 2010

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Visualizações de Páginas

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More